Qui, 22 Out 2020
Mais de um milhão celebram a diversidade

Foto: Tiago Fasano/ reprodução da internet
         
          Neste domingo, 27 de junho, o “verde-amarelismo” da Copa do Mundo ganhou mais cor. Na Avenida Beira Mar, a XI Parada pela Diversidade Sexual do Ceará envolveu com as cores do arco-íris a reivindicação por uma sociedade mais democrática, livre do preconceito e da discriminação por orientação sexual. Com o tema “Vote contra a homofobia: defenda a cidadania!”, a edição de 2010 teve uma programação com quase 30 atividades, entre encontros, seminários, oficinas, exposições, lançamento de campanhas, vídeos etc.

          Os veículos de imprensa que cobriram o evento informam que 850 mil (Polícia Militar) a um milhão de pessoas participaram da XI Parada. No trio oficial, a leitura de um manifesto político-cultural em defesa dos direitos humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais reivindicava a aprovação do PLC 122/06 (projeto que tramita no Senado Federal e propõe que a discriminação e as violências contra LGBTT se tornem crime, tal como o racismo). Uma versão musicada do manifesto foi reproduzida para os 06 trios elétricos credenciados para o percurso, exigindo a aprovação de lei estadual que coíba discriminação por orientação sexual, da lei que garanta os mesmos direitos previdenciários para servidores públicos estaduais que tenham companheiros do mesmo sexo e a divulgação e implementação integral dos planos municipal e estadual de políticas públicas para LGBTT, resultado das etapas locais da Conferência Nacional LGBTT, realizadas em 2008.

          Durante a abertura, representantes dos movimentos sociais de luta contra a homofobia e entidades parceiras do Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB revezaram-se no discurso. “A Parada é um momento onde se propõe a sensibilização da sociedade quanto à importância de politizar nossas escolhas, elegendo candidatos comprometidos com o enfrentamento do preconceito e da discriminação, que assumam uma postura clara de defesa  dos direitos das pessoas LGBTT no Estado e no país”, afirmou Francisco Pedrosa, Presidente do GRAB, ONG cearense que defende os direitos humanos LGBTT desde 1989 e organiza a Parada desde sua primeira edição.

          "Precisamos lutar por uma educação inclusiva, e por todas as bandeiras que são contra a violência e a favor dos Direitos Humanos", disse Zelma Madeira ao Jornal O Povo. Doutora em Sociologia e professora do curso de Serviço Social da Uece, Zelma foi Madrinha da XI Parada e recebeu a faixa das mãos de Vânia Dutra, secretária de cultura do município de Horizonte, que exerceu a função em 2009.
          Palavras de ordem pelo fim da homofobia e shows musicais fizeram da XI Parada uma grande celebração da diversidade. Tivemos a presença de Keyla Simpson, vice-presidente da ABGLT e de Vagner de Almeida, da ABIA-RJ. Teve para todos os gostos, começando com os shows de Diana e Kátia Freitas, no Show da Consciência Homossexual, na noite anterior, na Praça do Ferreira. Na Avenida, o som dos DJ’s Fábio Vieira, Guga de Castro e as performances da cantora pop Joyce Malkomes e Dimmy Kieer (Dicesar BBB 10) animaram os participantes. Zona Azul, Rafaela Manville e Altar foram atrações dos trios da Prefeitura de Fortaleza e casas noturnas.

          O GRAB, organização realizadora, avalia que a XI Parada superou as expectativas, tanto quanto ao número de pessoas, bem como com relação aos seus objetivos, já que o componente político foi bastante enfatizado durante a concentração e percurso, no horário das 13 às 22h00min. A Parada foi também tranqüila, sem maiores incidentes de violência, fruto do diálogo e das solicitações junto aos órgãos de segurança pública (Polícia Militar e Guarda Municipal).

Confira abaixo a cobertura da Parada em alguns meios de comunicação:
 

comentários 

 
#1 reclamaçaoCarlos 29-07-2010 02:17
Recebi um informativo com palavras de baixo calão, em uma linguagem em minha opinião ridícula, que era para ser popular.
Frases come ex: coloque a camisinha com o pau duro, e retire ainda duro.
para ser popular não precisa baixar o nível.
Agradecido pela atenção.
Citar
 

Comentar


Código de segurança
Atualizar