Segunda, 30 Mar 2020
GRAB forma grupo de teatro

 

                  

           Oativismo LGBTT e a prevenção da Aids estão em cena, começaram as atividades do Grupo de Teatro do projeto SAGAS! 12 jovens gays que já participaram de oficinas sobre cidadania, arte e saúde vivenciam agora práticas teatrais. Os encontros do grupo acontecem uma vez por semana e contam com a facilitação do Ator e Diretor Silvero Pereira, do Grupo Parque de Teatro. Idealizador dos espetáculos “Uma flor de Dama”, “Cabaré da Dama” e “Engenharia erótica”, Silvero acumula experiências de sucesso no teatro, retratando o universo de travestis e transexuais. Suas produções são frutos de mais de oito anos de pesquisa e já lhe renderam o Prêmio Cultural LGBTT, do Ministério da Cultura, em 2009.

          Weverton Pimenta tem dezoito anos e mora no Planalto Pici, na periferia de Fortaleza. Assim como vários jovens da sua idade, possui relatos de preconceito e discriminação devido a sua orientação sexual. Weverton lembra com carinho a forma como conheceu o GRAB, através do convite de um amigo para participar do seminário da Parada pela Diversidade sexual do Ceará, em junho de 2010. Desde então, o jovem participa de atividades promovidas pela ONG e não perde um encontro do Grupo de Teatro Prevenção e Ativismo. “Está sendo legal, porque além de eu gostar do lado teatral, eu conhecia os meninos e eles são super bacanas, me infiltrei mais no projeto do GRAB. Me sinto melhor estando aqui A gente interage muito. O grupo de teatro faz com que a gente fique mais unido, se conheça melhor e perca a timidez”, revela.


          Segundo Camila Castro, Coordenadora do projeto, a primeira fase de atividades do grupo está sendo realizada junto a jovens que demonstraram interesse pelo teatro durante o período das oficinas e acontecerá até dezembro de 2010, na sede do GRAB, culminando com uma apresentação durante a campanha alusiva ao dia 1° de dezembro, Dia Mundial de Luta contra a Aids. “O grupo representa para nós uma perspectiva de sustentabilidade das atividades do projeto, considerando que a gente está formando atores e que eles podem dar continuidade às ações de prevenção e isso amplia o alcance das ações do GRAB junto à população em geral”, afirma Camila.


          Realizados os três primeiros encontros, Silvero Pereira avalia positivamente o trabalho e a receptividade dos jovens. “É um período de descoberta: tanto minha, como professor, para perceber a potencialidade de cada um e investir, tantos deles, no sentido de identificarem suas habilidades. A expectativa é que a gente consiga ter um produto para o dia primeiro de dezembro e esse produto seja o inicio de algo que se pretende maior”. Quanto às primeiras impressões sobre a convivência e desenvoltura do grupo, Silvero complementa: “está sendo ótimo, acho que eles estão vindo porque estão se identificando. Há prazer, há muito diálogo com eles, há uma percepção do teatro nos dois campos, do lazer e do profissional”.

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar