Quarta, 01 Abr 2020
GRAB cobra da SSPDS informações sobre assassinatos de LGBT no Ceará

 

O GRAB, entre outras ações, iniciou o ano de 2014 cobrando das autoridades da área da segurança pública do Estado do Ceará informações acerca das investigações e apurações dos assassinatos cometidos contra gays, lésbicas e travestis em nosso Estado.

Foram protocoladas, em 08.01.14, solicitações ao Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Sr. Servilho Paiva; bem como ao Delegado titular da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Sr. Luis Carlos Dantas, sobre os 10 (dez) assassinatos ocorridos em 2013.

Infelizmente temos que noticiar que esses crimes contra a vida, caracterizados como crimes de ódio, com motivação homofóbica/lesbofóbica/transfóbica, atingiram 10 pessoas, sendo 8 na cidade de Fortaleza; 1 em Sobral e 1 em Canindé. Dessas vítimas, 4 eram gays, 3 travestis e 3 lésbicas.

As solicitações também pediram informações acerca do assassinato da travesti  Cecília Marahouse,  que completará 01 ano em 11 de janeiro de 2014, e que ocorreu na avenida José Bastos, em Fortaleza, com 30 tiros.

A fonte desses crimes são notícias de jornais e sites locais, em sistematização realizada pelo GGB. Acreditamos que o número de assassinatos, infelizmente, ainda é maior, pois outros casos possivelmente não foram cobertos pela imprensa.

Com a palavra, as autoridades da Segurança Pública do Governo do Estado do Ceará, que são constitucionalmente responsáveis pelas investigações, apurações e elucidação dos assassinatos ocorridos.

Cópias dos documentos citados acima também foram disponibilizadas à Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de Fortaleza e à Coordenadoria Estadual LGBT, para as devidas providências e acompanhamentos.

O GRAB permanecerá acompanhando essa questão e lutando pelos direitos humanos da população LGBT. 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar