Segunda, 08 Ago 2022
Diversidade Sexual: perspectivas e práticas

Para além de uma educação sexual escolarizada é um estudo das práticas educativas cotidianas realizadas nos espaços de socialização do saber, o espaço escolar – da escola básica, e não escolar – do movimento comunitário homossexual. De modo que se desvele suas contribuições no exercício das práticas educativas envolvendo os saberes sobre a sexualidade humana, especialmente os que se referem à diversidade sexual, incluindo-se, aqui, as categorias das homossexualidades e suas variações – gays, lésbicas, travestis, transexuais e bissexuais. São categorias que emergem no contexto da sociedade com maior visibilidade nos últimos anos. Os saberes que as correspondem merecem atenção especial para o exercício das práticas educativas, haja vista uma gama de significados e sentidos negativos atribuídos aos sujeitos pertencentes às referidas categorias. Como também, os saberes sobre a diversidade sexual continuam sendo objeto da religião, da psicanálise ou da medicina, para a prescrição das condutas desviantes, ou para a cristalização do mundo natural a partir de normalidades e anormalidades. Portanto, o que tem sido mais visível são as práticas desenvolvidas pelo movimento comunitário homossexual, enquanto que a escola ainda não tem assumido compromisso no trato desses saberes. Nessa perspectiva, o aparato conceptual e metodológico privilegia técnicas e procedimentos apreendidos a partir da etnografia, intencionando uma “descrição densa”, capaz de desvelar a cultura dos sujeitos, e de interpretá-la, de modo que a observação direta e as discussões foram instrumentos essenciais para tal feito. Consideramos desafiador, dentre as considerações pertinentes, na nossa realidade, realizarmos o encontro dos espaços investigados – a escola e o movimento comunitário homossexual – em torno de práticas educativas evidenciando os saberes sobre a diversidade sexual, para que possibilite o exercício autônomo da cidadania, em toda sua plenitude, das categorias de gays, lésbicas, travestis, transexuais e bissexuais.

Luís Palhano Loiola
Pedagogo, Mestre e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Professor da Universidade Estadual do Ceará com lotação na Faculdade de Educação. Membro do Grupo de Resistência Asa Branca – GRAB, ativista do movimento homossexual.
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.