Segunda, 06 Jul 2020
Movimentos se reúnem em seminário dos 20 anos do GRAB!

“A educação é que transforma realmente a vida das pessoas”.

Foi assim que Mitchelle Meira, da Coordenação da Diversidade Sexual de Fortaleza ilustrou as ações do GRAB ao longo desses 20 anos, ao lembrar ações educativas realizadas pela Instituição.

Ela foi uma das participantes numa mesa do seminário “20 anos construindo a Igualdade”, realizado no dia 26 de março, no auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura.

Além dela, representantes das coordenadorias estadual e municipal de DST/Aids, a presidente da ATRAC (Associação das Travestis do Ceará), Tina Rodrigues; Mariana Costa do LAMCE (Liberdade ao Amor entre Mulheres do Ceará); Wilma den Uijl, da Fundação Schorer e Andréa Rosati, da Assessoria LGBTT do Ceará integraram a mesa, além de Orlaneudo Lima, diretor do GRAB.

Além de felicitações ao GRAB pelos seus 20 anos, foram colocadas diversas questões que ilustram o cenário LGBTT e de prevenção à Aids no Ceará, e mesmo a diversidade desses movimentos. “O movimento LGBTT está aí para somar, e não para dividir!”, afirmou Tina Rodrigues, presidente da ATRAC, que lembrou a especificidade do movimento das travestis e afirmou parceria com o GRAB.

Wilma den Uijl, da Fundação Schorer, organização holandesa pelos Direitos Humanos e em defesa da comunidade LGBTT, elogiou a atuação do GRAB em relação à juventude. “Os jovens vão levar a bandeira! O movimento precisa rejuvenescer e o trabalho do GRAB representa um grande poder de mobilização”. Atualmente, o Grupo de Resistência Asa Branca, executa o Projeto SAGAS, em parceria com a Schorer.

Já Andreia Rosati destacou o quanto ainda há dificuldade e preconceito em relação a LGBTT na política. Ela, que é travesti, disse que já sofreu discriminação ao visitar prefeitos em municípios no interior do estado. “Onde tiver um gestor homofóbico, machista e preconceituoso, eu posso chegar lá e dizer que o governo tem sim uma política pública voltada para LGBTTs!”. Ela também lembrou Luis Palhano, ativista e integrante do GRAB, que foi assassinado em 2008, como “o grande símbolo do arco-íris no Ceará”.

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar